terça-feira, 23 de março de 2010

Essa foi forte !

No debate que se está a realizar no Parlamento Europeu sobre a adequação do perfil de Vítor Constâncio para o cargo de Vice-Presidente do Banco Central Europeu (BCE), uma eurodeputada do Luxemburgo disse que nomear Vítor Constâncio para o cargo é o mesmo que dar dinamite a um pirómano e que os seus compatriotas deviam ficar muito satisfeitos se ele saísse do Banco de Portugal.
Para quem ainda acha que o que se passa por cá não tem qualquer repercussão externa, aqui fica uma pequena amostra.

5 comentários:

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Maria Josefa,
isso para ele são amendoíns...
Deve ter sido a pedido do Nuno Melo que a senhora deputada falou.
Um abraço.

Manuela Freitas disse...

Desta não sabia!?...Para mim o Constâncio é um «cromo», entre muitos que há por cá, independentemente do partido a que pertençam. Como a Josefa muito bem diz, isto que se vai passando por cá, vai passando por lá e poderemos ser alvo de grande «chacota»!...
Enfim...isto estica, estica...que um dia vai rebentar ou não? Quem sabe? Eu não... tenho visto situações que nunca imaginaria que pudessem acontecer!?...
Beijinhos,
Manuela

Rudolfo disse...

O Sr. Constâncio é o resultado de um regime de chico-espertos que, para nossa tragédia, sequer já é reformável e, quando assim acontece, dificilmente algo de bom se lhe poderá seguir.

Rudolfo Wolf

PS
Atenção que não se trata de estar hoje particularmente pessimista.

Maria Josefa Paias disse...

.
Miguel,

O Nuno Melo também falou, mas como as suas palavras não foram tão "explosivas" como as de Astrid Lulling, não foram salientadas pela comunicação social.

Obrigada e um abraço.

Maria Josefa Paias disse...

.
Manuela e Rudolfo, muito obrigada pelos vossos comentários.

Como os pareceres desta audição a Vítor Constâncio não têm carácter vinculativo, e uma vez que a maioria do Parlamento Europeu está de acordo com a sua nomeação, amanhã, quinta-feira, será formalmente eleito como Vice-Presidente do BCE e tomará posse do cargo a 1 de Junho.

Em suma, e neste caso, esta audição foi uma pura perda de tempo e não fosse o que disse a eurodeputada Astrid Lulling, nem se teria dado por ela.

Tudo de bom para vós:)