quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Blog Action Day 2009 - Climate Change

O dia 15 de Outubro foi escolhido, a nível mundial, como o dia em que os autores de blogues são desafiados pela organização Blog Action Day a abordarem o problema das alterações climáticas que já se fazem notar no nosso Planeta, e para as quais têm contribuído as mais diversas actividades humanas, como os excessos no abate de árvores nas florestas tropicais, reduzindo assim a nossa fonte de oxigénio, bem como o problema da emissão de gases poluentes para a atmosfera, entre outras.
No próximo mês de Dezembro, este assunto será debatido em Copenhaga, numa cimeira internacional, e é bom que saibam que todos os bloguistas estarão atentos ao que lá se vai passar e às resoluções que venham a ser tomadas no sentido de se retroceder no processo de degradação do meio-ambiente que tem tido como consequência a alteração do clima.
Para nos lembrarmos do tempo em que havia estações do ano definidas, aqui fica um poema de Alberto Caeiro (F.Pessoa):
Quando está frio no tempo do frio, para mim é como se estivesse agradável,
Porque para o meu ser adequado à existência das coisas
O natural é o agradável só por ser natural.

Aceito as dificuldades da vida porque são o destino,
Como aceito o frio excessivo no alto do Inverno -
Calmamente, sem me queixar, como quem meramente aceita,
E encontra uma alegria no facto de aceitar -
No facto sublimemente científico e difícil de aceitar o natural inevitável.

Que são para mim as doenças que tenho e o mal que me acontece
Senão o Inverno da minha pessoa e da minha vida?
O Inverno irregular, cujas leis de aparecimento desconheço,
Mas que existe para mim em virtude da mesma totalidade sublime,
Da mesma inevitável exterioridade a mim,
Que o calor da terra no alto do Verão
E o frio da terra no cimo do Inverno.

Aceito por personalidade.
Nasci sujeito com os outros a erros e a defeitos,
Mas nunca ao erro de querer compreender demais,
Nunca ao erro de querer compreender só com a inteligência,
Nunca ao defeito de exigir do Mundo
Que fosse qualquer coisa que não fosse o Mundo.

De «POEMAS INCONJUNTOS», Fernando Pessoa/Alberto Caeiro, 1917

8 comentários:

Manuela Araújo disse...

Cara Josefa
Bem escolhido, esse poema de Alberto Caeiro, mesmo a propósito.
Espero que muitos bloguistas adiram a este "Blog Action Day" para ajudar a alertar o mundo de que temos de fazer alguma coisa pelo clima.
Um beijo

Ana Paula disse...

Um poema oportuno e muitíssimo bem escolhido.

:)) De acordo com o que li na publicação anterior, o desassossego também toma conta de mim, tenho que o confessar!

Beijinhos

Maria Josefa Paias disse...

Manuela, muito obrigada por ter gostado e pela simpatia.
Um beijinho.

Maria Josefa Paias disse...

Ana Paula, muito obrigada, e ainda bem que gostou do poema.
A continuarmos assim, ainda formamos o clube dos desassossegados.
Um beijinho.

Benjamina disse...

Josefa

Alinho no clube dos desassossegados!
Adoro Fernando Pessoa e o seu desassossego.
E vamos lá fazer alguma coisa pela nossa casa comum.

Beijos

Maria Josefa Paias disse...

Benjamina, muito obrigada. Cá estamos a dar o nosso contributo, à nossa maneira, para melhorar esta casa comum.
O Clube dos Desassossegados fica desde já formado informalmente, com as pessoas que vêm aos meus blogues e demonstrem interesse por Fernando Pessoa/Bernardo Soares.
Beijinho.

Maria Josefa Paias disse...

T.Mike, quando me preparava para escrever o rascunho deste postal, e ainda só tinha o selo do Blog Action Day, não sei o que aconteceu, mas o que é certo que o mesmo desapareceu do monitor e eu comecei tudo de novo e guardei como rascunho para publicar depois da meia-noite, pois refere-se ao dia 15.
Assim, quando acabei, nem fui ver o meu blogue, pois não me passou pela cabeça que aquilo que tinha desaparecido do monitor tivesse sido publicado, sem título, sem nada a não ser o selo. Pelo que só tomei conhecimento quando recebi o seu comentário a pedir mais informações, que muito agradeço, pois permitiu-me que pudesse eliminar o mesmo.
Um grande abraço e obrigada.

T.Mike disse...

De nada, Maria José Paias.
Entretanto a falta do mesmo deu-me aso para ir à procura. Encontrei e aderi. Mérito seu.
Quanto ao "desassossego", vamos nisso !
Um abraço.