sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Um Nobel da Paz prospectivo?

Depois de ontem ter ficado muito satisfeita por ter sido premiada a qualidade literária e humana em vez da quantidade e da vaidade e, por isso, o Prémio Nobel da Literatura ter sido muito bem entregue a Herta Müller, estou, no entanto, ainda incrédula com a escolha de Barack Obama para o Prémio Nobel da Paz, que a Academia do Nobel reservava para distinguir pessoas ou organizações que lutaram, por vezes vidas inteiras, pela paz, através dos mais diversos caminhos, o que não é o caso de Obama, por enquanto.
Assim, só posso entender a atribuição deste prémio, não pelo que fez mas pelo que se espera que venha a fazer, e isso não é justo para quem está no terreno todos os dias, colocando a vida em risco, e já com trabalho feito e provas dadas ao longo de décadas, enquanto Obama lutou na última década pelas suas ideias e na preparação da sua ascenção política apenas e só nos E.U.A., ou seja, por uma sociedade mais justa para os seus concidadãos.
Quanto à melhoria das relações com o Irão e a Rússia, os entendimentos para a diminuição do armamento nuclear, a estabilização do Iraque ou do Afeganistão, a preservação da natureza, etc., são assuntos tão recentes para Obama como recente é a sua eleição como Presidente dos E.U.A.
A não ser que o Prémio Nobel da Paz já não sirva para destacar acções mas apenas intenções, e isso é absurdo.
(fotos: Obama e Herta Müller)

4 comentários:

T.Mike disse...

Vá lá, já não sou o único ...a considerar extranho.

Manuela Araújo disse...

Cara Josefa
Estamos na mesma onda. Eu também acho muito cedo, acho ainda imerecido, e espero sinceramente que ainda o venha a merecer. Dou-lhe o benefício da dúvida.
Abraço

Ana Paula disse...

Não podia estar mais de acordo consigo, quer quanto ao Nobel da Literatura, quer quanto ao Nobel da Paz.

Sinceramente, ainda não tinha lido nada tão claro e objectivo acerca do assunto (Nobel da Paz).

Tenho que reler o pouco que conheço da Herta Müller, enquanto não aparecem edições capazes da sua obra. Estou muito curiosa. Mas o seu percurso de vida faz-me prever uma grande humanista na literatura.

E... como disse o T. Mike, vá lá... não sou a única ... :)

Bom fim-de-semana. Um abraço.

Maria Josefa Paias disse...

T.Mike, Manuela e Ana Paula, não, não somos os únicos a olhar o céu...(da sensatez).
Ana Paula, minha amiga, se não leu nada tão claro e objectivo sobre este assunto, além de o meu ego se sentir afagado com as suas palavras, acho que vou escrever um livro, não sei sobre que assunto, não sei se terá qualidade, mas quero já, pelos menos, um Pulitzer.
Está a ver como estas coisas me "tiram do sério"?
Beijinhos para todos.