quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Senhores deputados, já pensaram na opção sueca?

É tão simples o que podemos fazer para cortar nas despesas de funcionamento do Estado  em Portugal! Para o corte de despesas na estada em Lisboa dos deputados de outras regiões, durante a semana, que sigam o exemplo dos parlamentares suecos (1.º vídeo). No que respeita à transparência sobre o que fazem e decidem e no contacto com os cidadãos,  bem como na prestação de contas, também (2.º vídeo). E há tantas outras áreas onde se desperdiça o dinheiro dos contribuintes portugueses e que podia enumerar mas, para já, fiquemos por estes exemplos. Penalizar os mais desfavorecidos com impostos é que é vergonhoso e demonstra a má gestão dos dinheiros públicos.



20 comentários:

Porfirio Silva disse...

Acho que vale a pena ver os vídeos, sim. E acho que também valeria a pena fazer uma comparação explícita com Portugal. Apesar de talvez parecer o contrário, acho que algumas das condições "modestas" dos deputados suecos não são inferiores às condições dos nossos deputados. Veja, por exemplo, que cada um dos 349 deputados suecos tem o seu gabinete pessoal. Muito mais deputados para menos habitantes. Não sei se todos os deputados portugueses têm gabinete individual (acho que não). Acho que também não têm funcionários "pessoais", mas sim dos grupos parlamentares. Em resumo: concordo que vale a pena reflectir no que a autora propõe, mas comparando realidades e não suposições.

Guakjas disse...

Bem absolutamente incrível! Fiquei surpreendido pela positiva! Suécia: um exemplo a todos os níveis!
Já vou divulgar isto!
Incrível! São sem dúvida uma mentalidade 100 anos à frente da nossa...(e da maioria da Europa)

Obrigado pela partilha Maria. Eu vou fazer o mesmo.

Cumprimentos

Eduardo Miguel Pereira disse...

Por acaso já conhecia os vídeos, Maria Josefa, são de facto dignos de divulgação.
Em países destes não é preciso "hibernar", certo ?
E pensar eu que o meu "velhote" não aceitou o desafio de ir trabalhar para lá em 1969, porque eu tinha acabado de nascer e ...
Ai Pai ! eu tinha dado um belo Sueco, de tez Alentejana !

Manuela Freitas disse...

Olá Josefa,
Hoje chove bastante por cá e quando assim é, afecta o computador!
Não consigo ver os videos, mas voltarei.
Obviamente que estou nessa sintonia, em vez das medidas que foram tomadas, que pelas perspectivas vão levar a mais desemprego´e recessão, deviam ser tomadas outras!
Outra coisa que me revolta é que se fala muito em crise, mas não há um consenso da crise nas várias correntes políticas. Uns querem travar, mas outros ainda propõem mais gastos!...
Bj.
Manuela

Maria Josefa Paias disse...

.
Porfírio,

A "autora" não mencionou os gabinetes dos deputados portugueses no texto introdutório aos vídeos, porque, conhecendo o Palácio de São Bento, sabe que o que não falta lá é espaço.
Os vídeos são documentários e, como tal, tratam da realidade e, neste caso, no entender da "autora", uma realidade inspiradora e, através da qual, se pode entender melhor o significado de serviço público e de missão, termos utilizados tantas vezes por cá para alguns definirem o que entendem sobre a sua função de políticos.
Ainda não esqueci o que o Porfírio disse sobre um comentário meu a outra pessoa em que o assunto era a intuição: Que nunca me devia calar, ou: Calar nunca!. Desculpe não saber já os termos exactos. E, como vê, ainda não me calei.

Maria Josefa Paias disse...

.
Olá João (Guakjas),

Com todo esse entusiasmo, posso imaginar que já esteja a ver quais as Universidades suecas que possam interessar-lhe! :))

Cumprimentos.

Maria Josefa Paias disse...

.
Não, não é preciso "hibernar", Eduardo, e talvez as "sestas alentejanas" também não sejam necessárias, e que belo sueco daria! :))

Abraço.

Maria Josefa Paias disse...

.
Olá Manuela,

De facto, as posições políticas contraditórias em matéria de controlo do défice ainda deixam os cidadãos mais confusos. Por isso, nada melhor do que apelar à nossa capacidade de raciocínio e fazermos a nossa própria análise. Se estivermos errados, ficaremos sempre tranquilos porque os nossos erros não afectam a vida dos portugueses em geral e, se não tivermos mau perder, nem a nós nos afectarão.

Beijo.

P.S. - O seu computador parece que continua com vontade própria :) Volto a aconselhar um técnico competente para o ver, ou para a Manuela verificar se os "plug-in" e controlos estão actualizados. Aliás, se este fosse o caso, já teria sido notificada para a actualização, a não ser que o computador também seja dado a greves quanto a isso :))

Guakjas disse...

Olha que nem me importava nada de ir para lá estudar...Será que lá há Erasmus? Eu depois aproveitava e ficava por lá. É um sonho de país onde existem verdadeiros cidadãos e verdadeiros políticos! E porque é que estes políticos são assim? Porque têm cidadãos de facto... Só isso.

Porfirio Silva disse...

MJP,
Ainda bem que não se calou! Sendo dois que não nos calamos, podemos dialogar.
Acho que a comparação da realidade sueca com a portuguesa é interessante, até em termos de mentalidades. Os suecos apostam mais na qualidade das condições proporcionadas de forma colectiva e acessíveis a todos: em geral, serviços públicos de qualidade, para os quais todos pagam, e que deixam relativamente descansadas as pessoas no que toca ao essencial. As regalias individuais, cada um que as pague - e, mesmo assim, sem exageros na diferenciação.
Nós por cá é tudo ao contrário: poupamos muito no que é público, estimamos pouco o que é de todos, evitamos contribuir para o colectivo - e queremos que seja ao nível individual que estejam as almofadas. Esta diferença não é económica: é política, é de mentalidades, é cultural. E essas dificuldades não estão só na cabeça ou no comportamento dos políticos: são "programas" errados que estão instalados na "cabeça" da maioria de nós.
Esta opção essencial não me parece que esteja clara nos tais vídeos, por isso a mencionei. Assim, ainda bem, que ninguém nos cala, podemos debater sem bater :-))

Maria Josefa Paias disse...

.
Porfírio,

E a esse "estimar o que é de todos" pelos suecos não será alheio o facto de, muitos deles, entregarem 50% dos seus ordenados ao erário público, que, por sua vez, lhes dá o retorno com os tais "serviços públicos de qualidade".
A nossa realidade mostra a continuação na aposta em salários baixíssimos para a maioria, tão baixos que, por vezes, estão isentos de IRS, ou seja, não contribuindo para os tais bens comuns e, logo, não os estimando, embora exigindo-os, e dedicando-se não a uma vida plena mas à sobrevivência, sua e dos seus.
Mentalidades diferentes, sem dúvida, e são essas que não temos conseguido mudar ao longo dos séculos, porque a Literatura e a História mostram-nos que o nosso modo de pensar parece ter ficado fossilizado algures lá para trás.

Porfirio Silva disse...

MJP,
Concordo consigo. Desde o primeiro comentário que estive a fazer "fricção" na base de uma concordância de base. Curiosamente, os nórdicos têm outras taras, que os envergonham como nós nos envergonhamos deste fraco sentido do colectivo.

Maria Josefa Paias disse...

.
Porfírio,

Em vez de "fricção" eu utilizaria o termo "provocação", porque, se não estou errada, e através de alguma coisa que vou lendo do Porfírio, creio que por vezes toma a atitude provocadora para ver o que sai da cabecinha dos seus interlocutores. Com as devidas ressalvas, desempenha o papel do filósofo grego Sócrates e a história do moscardo que nos espicaça para que os conhecimentos que temos, sem saber, venham à tona. Agora, a muitas dessas técnicas, chamam Pedagogia :)

Maria Josefa Paias disse...

.
A Suécia sem Erasmus, João (Guakjas)? Não me passa pela cabeça! Possivelmente até terá outros programas de intercâmbio iguais ou melhores. Pesquise e depois diga o que encontrou.

Bom fim-de-semana:)

Guakjas disse...

Parece-me pertinente deixar isto cara Maria: http://bit.ly/933kKj

Obrigado

Cumprimentos

Maria Josefa Paias disse...

.
João (Guakjas),

Parece que o seu weblog não quer nada comigo. Deixa-me ler mas não me deixa comentar, e quando "submeto" o comentário aparece uma página em branco com o termo SPAM. Não sei se me considera spam, mas já não é a primeira vez que me faz isto.

Assim, aqui fica o que queria dizer lá:

«Hoje fiquei sem saber se havia de rir ou chorar com este artigo do Tiago Mesquita, que publiquei no Fb :

http://aeiou.expresso.pt/gastar-15-mil-milhoes-com-a-forca-aerea-vamos-bombardear-a-galiza=f608827

e que também mostra as nossas prioridades e a falta de tacto com que são feitos alguns investimentos e, por outro, no que você publicou, fica evidente a estupidez ou falta de vergonha de alguns deputados, considerando a situação do país e de muitos dos que eles "representam".

Cumprimentos.»

Guakjas disse...

Cara Maria não sei o que se passa. As minhas desculpas. E não, não a considero spam! Óbvio que não!
Não sei mas fiz um "teste" e o comentário entrou...Tente outra vez sff
Mesmo assim obrigado por ter passado por lá

Guakjas disse...

Quanto ao novo texto do Tiago Mesquita...Bem é melhor não dizer nada...Fiquei, mais uma vez, sem nada para dizer...

Maria Josefa Paias disse...

.
Vou tentar, João(Guakjas). Já levo aqui o comentário copiado para o teste:))

Guakjas disse...

Já sei porque será o SPAM: por causa do link que manda. É esse o problema.
As minhas desculpas